Alessandra Korap Munduruku
Laureada do Prêmio Robert F. Kennedy Human Rights de 2020
Alessandra Korap Munduruku

Alessandra Korap Silva, 36 anos, nasceu na aldeia Praia do Índio, no município de Itaituba (Pará), Amazônia Brasileira. Defensora de direitos humanos e liderança do povo Munduruku do Médio curso do rio Tapajós. Ela também atuou como professora de ensino infantil entre os anos de 2014 e 2015 e foi coordenadora da Associação Indígena Pariri entre 2017 e 2018. Ela é chefe das mulheres guerreiras Munduruku do Médio Tapajós, assessora da Associação Pariri e acompanha os caciques e lideranças na defesa do território, do rio Tapajós e da Amazônia. Como liderança, atua na defesa dos direitos indígenas, notadamente na luta pela demarcação das Terras Indígenas e contra grandes projetos do governo que afetam os territórios indígenas e tradicionais na região do Tapajós. Ela participou de diversas manifestações e incidências políticas em Brasília, como a suspensão da construção de uma grande hidrelétrica. A Alessandra liderou as ações políticas que impediram a realização de audiência pública para discutir projetos de concessão florestal em território indígena e tradicional aos quais estão sobrepostas as florestas nacionais. Seu ingresso na Graduação em Direito, na Universidade Federal do Oeste do Pará, em 2019, faz parte da estratégia do povo Munduruku de utilizar ferramentas dos pariwat (brancos) na defesa e gestão autônoma de seu território. Ela constrói e articula local e nacionalmente a luta pela garantia dos direitos dos povos indígenas, seja nos espaços políticos do povo Munduruku, da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil e de outros movimentos indígenas e tradicionais, seja na universidade e em eventos e audiências.